Poemas


    Este poema é dedicado a todas as mulheres que, de uma forma ou de outra, não merecem nenhum tipo de sofrimento.

  VOCÊ SEM MIM
                 Autor: Lucarocas

Hoje no meu pensamento
Eu fui então perceber
Que a partir do momento
Desse nosso conhecer
Você perdeu a alegria
E tudo o que contagia
O seu modo de viver.

Você foi entristecendo
Com minha aproximação
E eu então lhe querendo
Nessa nossa relação
Mas nas passadas da vida
Você bem entristecida
Foi entrando em depressão.

Antes de me conhecer
Sua vida era magia
Não conhecia o sofrer
Só plenitude e alegria
Agora só traz tristeza
No seu olhar tem frieza
De plena melancolia.

Depois da minha chegada
Ficou triste o seu olhar
Sua voz ficou calada
No horizonte a fitar
E o doce do seu sorriso
Não buscou o paraíso
Que tinha no seu sonhar.

Seu sonho não mais avança
Pra vida não tem mais gosto
E toda a sua esperança
Se transformou em desgosto
E a vida que ainda lhe resta
Lhe marca um sinal na testa
E lágrimas pelo seu rosto.

Não quero você tão triste
Nem sofrendo com esse drama
Eu sei que o amor existe
E o quanto você se ama
E eu quero que seja assim
Desejo você sem mim
Pois sou o Câncer de Mama.

Fortaleza, 07 de Outubro de 2015.

              LUCAROCAS
(85) 98897-4497 (oi – WhatAspp)
           99666-9396 (tim)
      poeta@lucarocas.com.br
        www.lucarocas.com.br




APONTANDO CAMINHOS
                                Lucarocas

Caminhos só são estradas
Quando se tem direção
E quando se faz paradas
Se busca a reflexão
E no silêncio e na calma
Se vai burilar a alma
Para a paz da oração.

As estradas são caminhos
Quando todos passos seus
Pisam também os espinhos
Em busca dos apogeus
E nas paradas da vida
O coração dá guarida
Para as mensagens de Deus.

Tanto caminho ou estrada
Nos apontam uma verdade
Que um dia há uma parada
Na nossa felicidade
E com deveres cumpridos
Seremos bem acolhidos
No reino da eternidade.

Mas quem colherá mais paz
No correr desses caminhos
São os que do amor faz
Dar beleza aos espinhos
E que em sua trajetória
Pra si não trouxe vanglória
Com pensamentos mesquinhos.

Colherá a paz eterna
Quem agiu com humildade
E que na vida moderna
Nunca fez hostilidade
E que com o seu coração
Acolheu sempre o irmão
Com atos de caridade.

Assim caminho e estrada
Têm sempre o mesmo valor
Quando houver uma parada
Seja em que instante for
Qualquer alma estará pronta
Para Deus em sua conta
Acolher com todo amor.

Fortaleza, 12 de janeiro de 2013 – 10:51h

ÍNTIMO AMOR UTÓPICO


Teus olhos
Queriam me encantar
Chegaram tão próximos
Veio o desejo:
Desejo de te abraçar
No abraço, as carícias.
Senti teus lábios nos meus
Teu corpo, junto ao meu estava
Minha mão correu teu corpo
Nosso amor tanto durava.
O sexo veio à cabeça
Prendi mais teu corpo ao meu
Quero que não te esqueças
O culpado não foi eu
Toda carícia era pouca
Ali onde se fazia amor
Tu ficaste quase louca
Já não sentia a dor.
De dores virou prazer
O prazer foi aumentando
E agora o que fazer
Já estava acordando.

                                (Fortaleza, 1977)

Poema do Livro Íntimo Amor Utópico

O POETA E A POESIA


                               Lucarocas

Ser poeta é ser artista
Das letras e emoções
Da alma apurar a vista
Pra visitar corações
E depois, com sentimento
Eternizar o momento
Nas mais sonoras canções.

O poeta e a poesia
Usam a mesma linguagem
Se abraçam em nostalgia
Vendo a mesma paisagem
Choram o mesmo sorriso
E fazem o que for preciso
Para seguir a viagem.

A poesia e o poeta
São amigos, são amantes
Juntos buscam a mesma meta
Nos motes ou nos quadrantes
São sublimes em sua calma
E fazem do choro da alma
O riso mais delirante.

Sem poeta e sem poesia
A vida é amargura
A tristeza cobre o dia
Com a sua manta escura
E as almas em escuridão
Farão da sua canção
O hino da sepultura.

Mas a poesia é vida
Que vivifica o poeta
Que no amor acredita
E no futuro projeta
Para que felicidade
Seja a canção da saudade
    Da poesia concreta.

VISÃO DE SER POETA

Vejo luz que brilha como lume silencioso
a chamar a vida de esperança
e a esperança de belezas,
fazendo no momento uma paz infinda
onde a solidão não canta seu hino
nem tristeza pede guarida.

Vejo, paciente, o tempo que passa
com a sabedoria do profeta
e com a ignorância do sábio,
tirando da vida a poesia de cada dia.
Vejo o silêncio dos seus olhos
num clamor de saudade,
onde beleza se ala como andorinha
em busca de um solitário verão.

Vejo seus seios virgens das carícias do poeta
e sequiosos do ósculo desse poeta,
que apenas ilusão cria numa utopia
de êxtase e prazer profundo.

Vejo uma estrela que brilha
e me encanta com seu riso,
como o beijo da mulher amada no poeta carente
que faz do momento a vida
e mostra para a vida que viver é saber sonhar
com o despertar da aurora
é deitar suave na imaginação de ser feliz.

Vejo um homem simples, sofrido
Que cala na sabedoria
E brada silencioso ao triste passado
com um grito de rouco
Que mansamente se transforma
Numa suave canção de futuro.

Vejo esse homem
e me encontro
na tristeza solitária de se ser poeta.

MULHER SER SOCIAL                                                                                    

                                   Lucarocas



Na grandeza maior da criação
Deus pôs toda a ternura angelical
Para os seres viverem em comunhão
Fez um elo de luz espiritual.

Mas pra coroar de amor e de benção
Criou entre os seres um ser divinal
Para ser mãe ser carinho e emoção
Veio à luz a mulher ser social.

Esse ser que é jardim e que é flor
Que transforma em alegria toda dor
E das trevas faz brotar novo brilho.

Tem em si a pureza de dá vida
A mulher foi por Deus a escolhida
Como lume geradora de um filho.

             A FORÇA DE UMA MULHER
                                        Lucarocas
O tempo não intimida
Seu valor de criação
Não faz sua dor sofrida
Vagar na desilusão
Pois toda sua esperança
Chega a virar confiança
Na paz do seu coração.

Seu riso se faz canção
Seu choro se torna hino
E toda desilusão
É um moldar de destino
Mostrando que sua raça
Recebe sempre a graça
E a benção do Divino.

O amor é inquilino
Da grandeza do seu ser
Sua mensagem ensino
Pra sempre melhor viver
Sua doçura e afeto
São os amparos de teto
Para o filho proteger.

Seu ato de defender
Seu direito à liberdade
É força que faz tremer
Certa masculinidade
Mas no ato da paixão
Usa todo o coração
Para valer sua vontade.

É esse ser de verdade
Que sofre muita injustiça
E vive a realidade
Do desejo e da cobiça
Que sabe no bem amar
Fazer um homem sonhar
No seu dever de justiça.

Esse ser que enfeitiça
Transforma todo caminho
Com a sua fé atiça
A pureza do carinho
E escreve com vigor
Vários poemas de amor
Para não ficar sozinho.

O teu colo é sempre ninho
O seu seio é proteção
Traz o bom cheiro de pinho
No bico do coração
E o seu encantamento
Transforma todo lamento
Na mais suave canção.

Esse ser que é sim e não
Pra agradar quem quiser
Na boca traz proteção
De um batom rosicler
Merece nossa homenagem
Nesse poema mensagem
A força de uma mulher.

JEITO DE MULHER
                               Lucarocas


Não é preciso baton

Pois sua boca tem o tom
Do encanto da natureza,
E você em seu normal
Tem a forma angelical
Da mais divina beleza.

Pra que mudar de cabelos
Se a maciez dos seus pelos
É plumagem de carinho,
E você em sua ternura
Tem a mágica da doçura
Da maciez de um ninho.

Não mude o que já é belo
Não transforme o que é singelo
Pensando no que o outro quer,
Seja você por inteira
Com a essência verdadeira
Do seu jeito de mulher.