31/08/2011

Ferrolho de Cabaré

Desenho de Capa:
Cayman Moreira
(85) 9641-7935

Sobre o Cordel

Ferrolho de Cabaré conta a história de um radialista apaixonado por Cabarés, e num descuido entra numa situação bastante complicada.

Comprar









A história que vou contar
Certamente aconteceu
Pois quem veio me falar
Essa história conheceu
E sem temer por castigo
Falou que foi de um amigo
Que se diz amigo meu.
           (...)
Quando foi de madrugada
Depois de muito prazer
Deu uma longa cochilada
E no sonho foi viver
Até que o sol raiando
Foi então lhe acordando
Para cumprir seu dever.
            (...)
O certo é que nesse dia
Nosso amigo tomou pé
Pra filha deu garantia
Pra esposa botou fé
E pra família voltou-se
E nunca mais ele tornou-se
Ferrolho de Cabaré.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

12/08/2011

006 - Ilusória Caroneira

Capa:
Sobre o Cordel

O texto Ilusória caroneira faz uma referência a um rapaz que pegou uma carona e achou que ia se dá bem em sua conquista. Um caso muito engraçado e, ao mesmo tempo, um alerta.








A história que vou contar
Não é história inventada
Uma amigo me contou
Como foi essa parada
Disse que um amigo dele
Enfrentou essa empreitada.
                   (...)
Que grande decepção
Quando tocou lá no facho
Sentiu uma coisa grossa
Pendurada como cacho
Foi aí que descobriu
Que a morena era um macho.
           
             (...)
Portanto caro leitor
Atenção para o que quer
Cuidado com as aparências
Não desfrute algo qualquer
Pois pode pegar um homem
Pensando que é mulher.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

016 - Câncer ABC da Prevenção

<><> <><>
Desenho de Capa:

Cayman Moreira

(85) 9641-7935

O cordel fala das diferentes maneiras que se pode adotar para evitar o Câncer. Dicas simples que pode amenizar dores e salvar vidas.








No alfabeto dessa vida
Muito se tem que aprender
Para sarar a ferida
Do câncer que faz sofrer
É preciso educação
Usando toda lição
Que contém nosso ABC.
            (...)
Para poder previnir
Sem ter que remediar
Não basta se resumir
No ABC soletrar
Precisa estudo completo
Das letras desse alfabeto
Para esse câncer curar.
           
            (...)
Faça valer sua vida
Dela colhendo prazer
Abrace na acolhida
Esqueça todo sofrer
Libere seu coração
Ensine ao outro a lição
Que dita o nosso ABC.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

08/08/2011

011 - A Linguagem no CH da UECE

Capa:
Lucarocas














Quando o homem foi criado
De Deus a Sua imagem
Ficou nele rotulado
O seu poder de vantagem
Por usar o pensamento
E Possuir o talento
Do domínio da linguagem.
            (...)
E num aprender sem fim
Num processo de magia
Navega-se com o latim
Na mar da mitologia
Para com deuses cantar
Uma canção pra ninar
Os sonhos da fantasia.
           


 (...)
Com toda missão cumprida
A despedida entristece
Pois o adeus da partida
É dor que não se esquece
Findo aqui essa mensagem
Pra Semana da Linguagem
Do CH da UECE.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

07/08/2011

010 - Agente um Defensor da Saúde

Capa:
Lucarocas















Houve tempo que a saúde
Estava em segundo plano
Tratada de modo rude
Como falácia e engano
Sem trazer nada de novo
Deixando o nosso povo
Em completo desengano.
            (...)
Com seu valor o agente
Continuou trabalhando
E mostrou-se competente
Quando esteve pesquisando
Para ao governo mostrar
Onde tinha que atuar
Pra saúde ir melhorando.
           




 (...)
Se ouvir com muita atenção
O que lhe diz o agente
E todo orientação
Seguir bem corretamente
Vai haver mais alegria
Pois a partir desse dia
Ninguém mais fica doente.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

009 - O Povo sem Patativa

Desenho de Capa:

Cayman Moreira

(85) 9641-7935

















Quem conhece Patativa
O Poeta popular
Sabe que é lenda viva
Na memória secular
Homem da agricultura
Que faz do verso a cultura
E da vida poesia
E no cabo da enxada
Faz a bandeira hasteada
Clamar por democracia.
           








(...)
O poeta da justiça
Muito foi injustiçado
Teve a vida submissa
Por trabalhar no roçado
E por viver no sertão
Lhe colocaram o grilhão
De poeta sem cultura
Mas a sua poesia
Promoveu a anistia
Do povo da agricultura.
           (...)
E os filhos do sertão
Farão suas romarias
As preces e orações
Serão sempre poesias
Do Patativa aclamado
Que por todos sendo amado
Em um só clamor de fé
Farão sua memória viva
Transformarão Patativa
No Santo de Assaré.

 


Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

019 - A Paixão pela Zeréssima


Capa:
Lucarocas













Seu Luis foi convocado
Pra trabalhar na eleição
Ficou tão emocionado
Com a tal convocação
Que criou no sentimento
Um grande contentamento
Por tá servindo à nação.
            (...)
Daquele dia em diante
Zeréssima bem lhe cria
Fez seu Luis ir avante
Na sua cidadania
E muito mais que eleitor
Seu Luis foi defensor
Da Plena democracia.
           




 (...)
Hoje porém seu Luis
Continua o seu perfil
É um cidadão feliz
Trabalhador do Brasil
Que quer ter  nova emoção
E trabalhar na eleição
Do fim do ano dois mil.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

027 - Amazônia Não Senhor

Desenho de Capa:
Lucarocas



Um país famigerado
Por sua corrupção
Tem o povo condenado
Pra sofrer sem pátria e pão
Sofrendo no abandono
Pois quem pensa que é dono
Está vendendo a nação.
            (...)
Da Amazônia levaram
Do índio sua liberdade
A mata já devastaram
Com a maior crueldade
E por força do demônio
Dizem que ainda é patrimônio
De toda a humanidade.
         





 (...)
Se em Amozânia falar
Prestemos muita atenção
Se pedirem pra entregar
Sustente sempre seu NÃO
Pra defender Amazônia
Não precisa cerimônia
Basta amar sua nação.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

021 - O Silêncio de Maria

Desenho de Capa:
Mário César




O destino de Maria
Foi traçado no sofrer
Nunca fez o que queria
Na trilha do seu viver
E na angústia e na dor
Seu silêncio protetor
Lhe serviu até morrer.
            (...)
Na rudeza de Maria
Morava certa pureza
E no corpo possuía
Algum sinal de beleza
E na sua intimidade
Tinha toda a virgindade
Que lhe deu a natureza.
           




(...)
Hoje no céu da Lagoa
Brilha uma estrela a mais
Que a todos abençoa
Com o seu lume fugaz
E quem nela sempre espia
Sente o riso de Maria
No seu silêncio de paz.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

007 - O Sonho de Itamar

Desenho de Capa:
Cayman Moreira
(85) 9641-7935


 
Certa vez aconteceu
Um fato bem diferente
Itamar adormeceu
E sonhou ser presidente
De uma tão grande nação
Que tinha a corrupção
Como moeda corrente.
           (...)
Por ser ainda solteiro
Itamar o sonhador
Buscava o paradeiro
Do seu verdadeiro amor
Se tão bem ia a nação
Vazia o seu coração
Sofria com muita dor.
           







(...)
E o Itamar se acordou
"Naquela situação"
Foi ai que recordou
A sua grande ilusão
De viver num só repente
Um amante presidente
Do Brasil grande nação.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)



05/08/2011

008 - O Santo Jesus Agreste


Desenho de Capa:
Cayman Moreira
(85) 9641-7935



Foi num tempo já passado
De seca lá no sertão
Onde um povo maltratado
Pela dura sequidão
Viu no solo nordestino
O milagre de um menino
Ser do povo a redenção.
            (...)
Onde com a mão tocava
A natureza atendia
Quando uma planta murchava
Se tocasse ela crescia
Se uma rês amuasse
E nela Agreste tocasse
De certo não morreria.
           






 (.....)
Dizem que o sertão chorou
Como chora uma criança
E nunca mais se plantou
Com a mesma confiança
E hoje lá no Nordeste
O Santo Jesus Agreste
É uma santa lembrança.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

088 - O Amigo Ferrerinha e o Silêncio da Viola


Capa:
Lucarocas




Quando os ditos da cultura
Chamou pra universidade
A minha literatura
Tomou asa em liberdade
E dentro desse universo
O sentimento fez verso
Pros elos da amizade.
            (...)
Com o seu cantar campestre
Ferreira me deu lição
Foi humilde como um mestre
Foi sincero como um irmão
E sentado em uma rede
Foi em um pé de parede
Que me ensinou um baião.
           




(...)
O silêncio da viola
Fica guardado em memória
E a prece que nos consola
Põe o Ferrerinha em glória
E com Deus em liberdade
Guardaremos com saudade
A sua mais bela história.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

04/08/2011

012 - O Carteiro e o Poeta



Capa:
Lucarocas





Mário era um pescador
Que não gostava do mar
Ele buscava o amor
Pro exercício de amar
E encontrou na poesia
A verdadeira magia
De uma mulher conquistar.
               (...)
Neruda seu professor
Tornou-se então seu amigo
Lhe ensinou o valor
De enfrentar o perigo
E mostrou que a poesia
Traz para a alma alegria
E pro coração abrigo.
            (...)
Sentiu na melancolia
A solidão de profeta
Pois seu amigo perdia
Por sua culpa indireta
E dentro em sua memória
Ficava viva a história
Do Carteiro e do Poeta.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

03/08/2011

005 - Carrossel Mata-Criança

Desenho de Capa:
Cayman Moreira
(85) 9641-7935


Não me condene doutor
Pelo que vou escrever
É que não sabe o senhor
A dor do meu padecer
Quando na rua vivia
Com a barriga vazia
Por não ter o que comer.
            (...)
Fico porém revoltado
Vendo na televisão
Um carrossel bem formado
Por fileiras de "anão"
No maior descaramento
Fazendo com o orçamento
Um rol de corrupção.
            (...)
Pela dor que doi a fome
Pela carência de pão
Pelo verme que consome
Chamado corrupção
É que trago seu doutor
A marca de grande dor
Cravada no coração.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

004 - A Mentira da Mãe Morta


Desenho de Capa:
Cayman Moreira
(85) 9641-7935




Tem história nessa vida
Que parece inventada
História que Deus duvida
Da forma que foi criada
Pois vejam a grande esperteza
Que um filho com frieza
Fez sua mãe sepultada.
            (...)
E o menino sofrendo
Por a mãe ter falecido
Ia falando ao reverendo
De modo tão comovido
Lastimando a sua sorte
Pois o negrume da morte
Levou sem ente querido.
            (...)
Hoje a vida do infeliz
É bater de porta em porta
Vagando sem diretriz
Numa dor que não suporta
Pois traz o arrependimento
De criar por um momento
A mentira da mãe morta.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)



30/07/2011

003 - Quando a Plebe Cito






Ser plebeu nesse país
É padecer na pobreza
Carregando a cicatriz
De tudo quanto é rudeza
É viver sendo empregado
Pelo patrão maltratado
Lhe aumentando o sofrer
Se trabalha o mês inteiro
Recebe só o dinheiro
Que pouco dá pra comer.
           


(...)
Dos poderes da elite
O vulgo não se aprixima
Pois o rico não permite
O pobre no andar de cima
Para não se misturar
Cada um em seu lugar
É assim que é programado
O pobre fica sofrendo
Olhando pra cima e vendo
Oquanto é discriminado.
            (...)
E na hora de escolher
Em qualquer ato que for
Não pode o povo temer
A força do opressor
Tem que mostrar que a luta
É de quem traz na conduta
O sangue de um guerreiro
Lutar pelo seu direito
Adquirindo o respeito
De cidadão brasileiro.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)


002 - Liberdade em Carta Aberta


Capa:
Lucarocas



Moreira, caro poeta
Eu me apartei da comadre
Mudei o rumo e a meta
Pra fugir dos pés do padre
E voltar à liberdade
De viver a mocidade
Sem a clausura da madre.
            (...)
Quando o sol me bronzeava
Na praia tive uma visão
E se os olhos esfregava
Mais parecia uma ilusão
Não tinha visto tão bela
Uma sedução de donzela
Pisando naquele chão.
         




  
 (...)
Moreira poeta amigo
Nessa minha liberdade
Sinto a falta de um abrigo
Que me dava a raridade
Do prazer do sentimento
Que de momento em momento
Eu hoje sinto saudade.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)


001 - Reclame de Trabalhador

Desenho de Capa:
Cayman Moreira
(85) 9641-7935






Seu doutor estão dizendo
Que o governo está fazendo
Um tal controle de preço
Pra nada o valor subir
E eu poder consumir
Tudo aquilo que mereço.
            (...)
De que adianta eu ter
Fósforo pro fogo acender
Pra botar minha panela
Se eu não tenho o alimento
Pra fazer o cozimento
Na fervura dentro dela.
           






(...)
Se senhor com o seu poder
Algo quisesse fazer
Pra grandeza da nação
Cuidava mais do operário
Lhe aumentaria o salário
Não lhe roubaria o pão.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)


A Decepção do Zé Romeiro

Capa:
Lucarocas



Certo dia Zé Romeiro
Seguiu para romaria
Levando pouco dinheiro
Mas cheio de alegria
Foi parar em Canindé
Pra renovar sua fé
Junto com sua Maria.
            (...)
Com toda aquela visão
Bateu no Zé uma tristeza
Sentiu uma decepção
Pela grande safadeza
Que fizeram com o santo
Mudando daquele tanto
A estátua que era uma beleza.
          




            (...)
Se sentiu cheio de mágoa
Por tudo que observou
E viu no espelho d´água
Uma lágrima que rolou
Ali perdeu sua fé
O certo é que ao Canindé
Nunca mais o Zé voltou.


Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

29/07/2011

017 - Canudos a Redenção do Nordeste


Desenho de Capa:
Cayman Moreira
(85) 9641-7935




Quem reparar nas histórias
De luta por liberdade
Verá derrotas e glórias
No seio da humanidade
E Canudos evidente
Hoje ainda está presente
No sertão e na cidade.
            (...)
Canudos foi criticada
Pelos ricos fazendeiros
Muita história inventada
Dizia ser desordeiros
Assassinos malfeitores
Todos os trabalhadores
Ali daquele luzeiro.
          
  (...)
Relatos de luta e glória
Se encontram mais de mil
Com derrota e vitória
De um povo veronil
Mas todo o tempo assegura
Canudos é face escura
Da história do Brasil.


Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

28/07/2011

As Travessuras do Menino Mágico


Capa:
Lucarocas





Quando Deus criou o mundo
Pôs pureza em sua voz
E com seu poder fecundo
Trouxe da essência à foz
Uma benção geradora
Nos dando uma escritora
Que foi Raquel de Queiroz.
               (...)
Raquel traz diversidade
Na sua literatura
Traduz a fatalidade
Com nuances de ternura
E sem elevar o trágico
Escreve o Menino Mágico
Que traz magia e aventura.
            (...)
Pois no findar da leitura
Dos versos deste cordel
Não se viu toda ternura
Da mágica do Daniel
Mas quem quiser mais magia
É só ler com alegria
Todo o livro da Raquel.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)


033 - A Vingança do Seu Lunga

Desenho de Capa:
Cayman Moreira
(85) 9641-7935





O seu Lunga virou lenda
Na gerência popular
E não há quem não se renda
Ao seu jeito de falar
Pois a sua "ignorânca"
Dizem que desde criança
Faz dele se acompanhar.
         (...)
Seu lunga não fez lamento
Ali naquele recinto
Jogou sal no ferimento
E pra provar seu instinto
Deixou marcada na pele
Ferida em forma de "L"
Da fivela do seu cinto.
        





                 (...)
Dizem que depois de então
Seu lunga mais se acalmou
Usando mais da razão
Muito pouco se afabou
E no decorrer da vida
É certo com Margarida
Nunca mais ele sonhou.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

015 - O Lenhador e a Morte














Zé da Lenha lenhador
Um cumpridor de missão
Como bom trabalhador
Devoto de São João
Reclamava de sua sorte
Pedido sempre que a morte
Viesse lhe dar a mão.
            (...)
Depois dessa aparição
O céu logo escureceu
O Zé findou oração
Logo depois se benzeu
E pegou o feixe de lenha
Enveredou pela brenha
E para casa correu.
          (...)
Zé da Lenha lenhador
Permanece no roçado
E devoto do Senhor
Cumprindo sempre seu fado
Mas quando pensa na morte
Se mostra muito mais forte
No manejar do machado.

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)

A Freira que Virou Quenga

Capa:
Lucarocas

A Freira que Virou Quenga fala de uma caso real de uma jovem que foi injustiçada, mas continuou na sua fé. Boa Leitura.












Aurenir era morena
E tinha um ar de fogosa
Tinha uma boca pequena
Mas com jeito apetitosa
E apesar da beleza
Trazia grande pureza
Na alma bem generosa.
              (...)
Era a quenga mais querida
Daquela localidade
Pros homens dava guarida
Com a sua intimidade
Mas nos momentos sós seus
O seu contato com Deus
Lhe dava felicidade.
                     (...)
A freira que virou quenga
Por ter sido injustiçada
Leva uma vida capenga
E cumpre dupla jornada
Na semana está na zona
Domingo é uma bela dona
Na igreja ajoelhada.
          (...)

Contato:
(85) 8897-4497 (oi) 9985-7789 (tim)